segunda-feira, 18 de setembro de 2017

1º Congresso Internacional | IACS207

Dia 26 e 27 de Outubro irá se realizar o 1º Congresso Internacional IACS 2017 no Europarque, Santa Maria da Feira.

O Hotel dos Loios tem preços especiais para os participantes.

Peças mais informações através dos nosso formulário de contato ou pelo email geral@hoteldosloios.com

Link do evento: https://goo.gl/w68urz 


quinta-feira, 3 de agosto de 2017

Já começou mais uma Viagem Medieval!


Santa Maria da Feira não para. Já começou mais uma Viagem Medieval!

Todos os anos, Santa Maria da Feira realiza, aquela que já é considerada por muitos medievalistas como a melhor Viagem Medieval da Peninsula Ibérica.
Milhares de pessoas, oriundas de vários países, chegam à vila da Feira para participar desta fantástica produção que recria os tempos aureos de um Portugal medieval.
Nesta feira, podemos encontrar gastronomias que têm origem em épocas “d’el Rei”, assim como artigos de artesanato e marroquinarias.
Claro que a feira não se fica por aqui! Todos os anos é escolhido um Rei para apadrinhar a viagem e dar a conhecer como era a vida naquele tempo.
Para além disso, conta com a presença das empresas turísticas da região, para dar mais animação ao espaço.
Num cenário onde o Castelo da Feira é o anfitrião, pode ainda desfrutar dos espaços verdes e dos monumentos arquitetónicos.
Se há um lugar que o pode fazer regressar ao passado, esse lugar é esta Viagem, uma verdadeira viagem no tempo.
Link para site da Viagem Medieval: https://goo.gl/RmvwfM

segunda-feira, 3 de julho de 2017

[Viagem Medieval 2017] - Contexto Histórico da Viagem


Este ano viajamos até 1325, durante o reinado de D. Afonso IV. O seu reinado foi marcado por tempos difíceis: fomes, pestes e guerras.
A fome era generalizada devido aos maus anos agrícolas. As alterações climáticas e catástrofes naturais levaram à escassez de vários produtos, o que originou a subida de preço, onde culminou com a fome e, consequentemente, a Peste Negra.
Para além disso, havia também as guerras com Castela, as ameaças islâmicas e a guerra civil com o seu filho Pedro.
Graças as sua tenacidade e perspicácia, fez reformas na justiça e na administração, voltando a sua atenção para o mar, o que fez com que Portugal fosse um conciliador de rotas marítimas entre o Atlântico e o Mediterrâneo.
D. Afonso IV, de cognome o Bravo, foi o rei que definiu Portugal como um povo, em 32 anos de reinado.
Morreu em 1357, passando a coroa para o seu filho D. Pedro I.

quarta-feira, 28 de junho de 2017

Receita de Fogaça de Santa Maria da Feira













Já ouviu falar da fogaça de Santa Maria da Feira?
Para quem nunca ouviu, a fogaça de Santa Maria da Feira tem as suas origens por volta do séc. XVI em honra a São Sebastião. Mesmo sendo uma receita de fácil confecção, é necessário respeita os tempos de fermentação, para que esta atinja o formato típico.
O Hotel dos Loios partilha consigo a receita deste doce típico para que possa desfrutar de boa companhia, ou sozinho se for mais guloso.

Ingredientes para o fermento:

  • 150 ml de água morna
  • 200 gr de farinha
  • 50 gr de fermento de padeiro

Ingredientes para a massa:

  • 1 limão
  • 10 gr de sal
  • 120 gr de manteiga
  • 150 gr de açúcar
  • 4 ovos (1 para pincelar)
  • 600 gr de farinha de trigo
  • Canela q.b.

Modo de preparação:

  1. Dissolva o fermento na água morna e deite a farinha até ter uma massa mole. Deixe levedar durante 15 a 30 minutos.
  2. Adicione o sal, as rapas e o sumo de limão, os 3 ovos, a manteiga, o açúcar com a canela e a farinha, e misture até atingir uma massa um pouco mais consistente que a do pão.
  3. Deixe fermentar até a massa atingir o dobro do volume.
  4. Divida a massa no número de partes que assim desejar - dependendo do número de fogaças que queira fazer - e molde cada uma delas num rolo mais espesso de um dos lados.
  5. Espalme o rolo pela mão e vá enrolando pelo lado mais largo, até obter uma pirâmide.
  6. Coloque num tabuleiro com pano polvilhado de farinha e deixe levedar 30 a 60 minutos.
  7. Pincele com 1 ovo e faça 4 golpes de forma a que o topo forme as torres do castelo.
  8. Pré-aqueça o forno a 200ºC  e deixe cozer durante 15 minutos. Abra as torres de forma a que a fogaça coza no interior.
  9. Leve novamente ao forno até acabar de cozer.

sábado, 24 de junho de 2017

FEIRA CARD - O Cartão para os turistas em Santa Maria da Feira



O FEIRA CARD é uma iniciativa do Município de Santa Maria da Feira, com a colaboração de um conjunto alargado de parceiros, com o objetivo de promover o destino Santa Maria da Feira, enquanto Palco de Experiências, proporcionando aos portadores do cartão (turistas e visitantes, nacionais e estrangeiros), o acesso gratuito, ou a tarifas competitivas, a diversos produtos e serviços turísticos de excelência no concelho de Santa Maria da Feira.

Com o FEIRA CARD pretende-se estimular a visita a Santa Maria da Feira, bem como possibilitar ao visitante a oportunidade de prolongar a sua estadia, usufruindo das ofertas disponibilizadas a nível da visita (entrada) aos principais equipamentos turísticos, restauração, comércio local e programação cultural do Cineteatro António Lamoso, criando a motivação de regressar e subsequente fidelização a Santa Maria da Feira.

Está disponível no nosso hotel. Para mais informação contacte-nos ou visite o site VisitFeira.Travel.

segunda-feira, 22 de maio de 2017

3 Monumentos Religiosos para conhecer em Santa Maria da Feira

Santa Maria da Feira também possuí uma tradição em Turismo Religioso. Desde a Semana Santa e o Caminho de Santiago Português, este concelho apresenta monumentos religiosos que vale a pena visitar e conhecer. Aqui fica a sugestão de 3 monumentos religiosos:

1. Igreja do Espírito Santo (Matriz)


A Igreja de S. João Evangelista ou do Espírito Santo faz parte do imponente conjunto arquitetónico constituído pela igreja e convento, onde se albergou a Congregação dos Lóios ou dos Cónegos Azuis. Com o patrocínio dos Condes Pereira, a sua construção iniciou-se em meados do séc. XVI, prolongando-se para os séculos seguintes. No interior, a capela-mor apresenta grande riqueza em talha, assim como nos altares laterais, dedicados a santos titulares, nomeadamente a S. Sebastião. No exterior, e fazendo parte deste conjunto monumental, a escadaria com o cruzeiro a meio, e a rematar o chafariz da mesma época.

2. Igreja da Misericórdia


Antes da construção da atual Igreja do Espírito Santo, era esta a Igreja Matriz da Feira, dedicada ao padroeiro S. Nicolau, que, após esta transação, passou a ser dedicada a S. Francisco. Tendo sido fundada a Santa Casa da Misericórdia da Feira por volta de 1594, e aproveitando o estado de ruína desta capela de S. Francisco, no final do séc. XVII, com a realização de algumas obras, aí foi instalada a Igreja da Misericórdia, dedicada a N. S. dos Prazeres ou Senhora do Campo. No interior, apresenta três altares: o altarmor, um do lado da epístola com a imagem de N. S. da Conceição e o outro, do lado do evangelho, a N. S. dos Prazeres. No exterior, a igreja é adornada por largo escadório setecentista e chafariz de 3 bicas.

3. Capela da N.ª Sr.ª da Encarnação


Junto à barbacã do Castelo de Santa Maria da Feira, encontra-se um interessante conjunto constituído pela capela, de forma hexagonal, e casa do capelão, mandadas edificar pela condessa Joana Forjaz Pereira, em 1656. Esta capela veio substituir uma antiga ermida dedicada a Nossa Senhora, a do Castelo, tendo transitado todo o núcleo de imagens religiosas para a nova capela, onde se pode observar a N. S. do Castelo, a rainha Santa Isabel, que foi donatária da Terra de Santa Maria, ou Santa Luzia.

sábado, 20 de maio de 2017

Caminho de Santiago Português em Santa Maria da Feira

Os Caminhos de Santiago são um dos principais itinerários religiosos e culturais da atualidade, atraindo há séculos peregrinos de todo o Mundo que, por fé religiosa ou contemplação, têm por destino a Catedral de Santiago de Compostela, em Espanha, onde, segundo a lenda, se encontra o túmulo do apóstolo São Tiago, que evangelizou a Península Ibérica. 
O Caminho Português de Santiago passa pelo concelho de Santa Maria da Feira, num percurso de cerca de 17 Km, estendendo-se pelas freguesias de Arrifana, Escapães, S. João de Ver, Fiães, Lourosa, Mozelos e Nogueira da Regedoura. 
Ciente da sua importância e atratividade, o Município de Santa Maria da Feira procedeu à sinalização do itinerário, através da colocação de 60 azulejos, isolados ou afixados em marcos, de forma a proporcionar a orientação em segurança dos peregrinos, que se deslocam a pé, cavalo ou bicicleta, permitindo-lhes ao mesmo tempo que conheçam e desfrutem da história local, atrativos turísticos e hospitalidade de Santa Maria da Feira.


sábado, 13 de maio de 2017

8 espaços ligados à Natureza que vai querer visitar

Santa Maria da Feira possui espaços lindissimos ligados à Natureza e que vale a pena visitar. Damos-lhe 8 opções de visita para quando nos visitar:

1. ZOO DE LOUROSA - PARQUE ORNITOLÓGICO


O Zoo de Lourosa é um equipamento zoológico que tem particularidades singulares a nível nacional – é o único parque ornitológico do país. Dedicado exclusivamente a aves, com uma coleção de cerca de 500 exemplares de 150 espécies diferentes, distribuídas por 80 habitats de cativeiro. De resto, tem uma das mais emblemáticas e representativas coleções de aves da Península Ibérica, espelhando a realidade da Avifauna dos 5 continentes, sendo um dos poucos equipamentos do género na Europa. Localizado em Lourosa, cidade de forte dinâmica industrial no setor corticeiro, o Zoo de Lourosa está a cerca de 15 minutos da cidade do Porto, com ligação privilegiada aos nós da A1, A29 e A41, distando poucos metros da EN1. Com uma fortíssima dinâmica voltada para o público familiar e escolar, este diferenciador equipamento assume uma transversalidade etária como poucos. O fascínio natural que o público tem pelo conhecimento sobre a vida animal assume-se aqui a par da possibilidade de contactar e vivenciar realidades que se concentram no propósito primeiro do Zoo – Recriar Habitats, Reproduzir Espécies e Reciclar Conhecimentos.

2. PARQUE DAS RIBEIRAS DO RIO UÍMA


O Parque das Ribeiras do Rio Uíma, integrado nas freguesias de Fiães e Lobão, combina vários sistemas de zonas húmidas, terrestres e ocupação humana, formando uma extensa várzea. Aqui podem observar-se espaços muito ricos a nível da diversidade de habitats, albergando grande número de espécies vegetais e animais. Com a valorização das margens do Rio Uíma, nomeadamente com intervenções de preservação da biodiversidade e conservação do corredor ecológico, criaram-se condições para observar de perto os habitats naturais. É possível neste espaço realizar percursos pedonais, com interpretação de ecossistemas ribeirinhos com estatuto de proteção, e observar os ciclos de transformações anuais num equilíbrio harmonioso entre as condições naturais e sistemas humanizados.

3. PORTO CARVOEIRO


Situado no extremo norte do concelho de Santa Maria da Feira, junto ao Rio Douro, o Porto carvoeiro é, pela sua envolvência de grande beleza natural, um local de lazer e descontração onde se praticam alguns desportos. Regredindo no tempo, até cerca de 1950, imagine-se o Porto de Carvoeiro…era um dos locais com maior dinâmica comercial de Santa Maria da Feira. Os barcos rebelos oriundos do Porto e de Gaia traziam até este porto diversas mercadorias, especialmente alimentos, que eram depois distribuídas por todo o concelho, em carros de bois. No regresso carregavam madeira e carvão.

4. JARDINS MUNICIPAIS


Frondoso parque de merendas com acesso direto através da escadaria a um pequeno lago artificial com vários repuxos de água, um conjunto escultórico em bronze onde se projeta um certo imaginário infantil e um recanto onde o poeta Pedro Homem de Mello entendeu deixar um verso em homenagem ao folclore da Vila da Feira. Aproveitam-se os bancos de jardim, não só para repouso, mas para melhor usufruir da imensa sinfonia proporcionada pelo rico arvoredo da Alameda Roberto Vaz Oliveira, que liga o Rossio ao Castelo.

5. JARDINS DO EUROPARQUE


Santa Maria da Feira tem vários espaços verdes no seu núcleo urbano, mas o complexo constituído pelo Centro de Negócios, Centro de Ciência, Centro de Congressos e Parque de Imagem veio dar uma nova dimensão ao modo como pode ser usufruída a Natureza.

6. QUINTA DO CASTELO


Retrato de um certo gosto romântico, a Quinta do Castelo inclui um lago e grutas artificiais, construídas pela Companhia Hortícola do Porto.
A luxúria da vegetação convida à peregrinação por entre múltiplos trilhos desenhados num terreno de declives vários.

7. PRAIA FLUVIAL DA MÁMOA


No verão as áreas balnear e de lazer da praia fluvial da Mámoa, na freguesia de Milheirós de Poiares, recebem dezenas de veraneantes. Inserida no âmbito da reabilitação das zonas ribeirinhas e criação de espaços públicos de lazer em estreita ligação com a natureza, esta infraestrutura tem ao dispor dos utilizadores, duas praias, uma em cada margem, áreas ajardinadas e de lazer, e estacionamento.
Dotada de equipamentos desportivos, infraestruturas de apoio às atividades lúdicas, bar e restaurante, a praia fluvial da Mámoa tem uma área de cerca de dois hectares, contígua a uma ponte rodoviária sobre o rio Antuã, junto à qual se encontra um pequeno moinho, remodelado.
Esta praia fluvial é uma zona balnear extremamente agradável, com uma boa exposição solar, ideal para quem aprecia os convívios ao ar livre e os desportos de natureza.

8. PARQUE DA CIDADE DE LOUROSA


O Parque da Cidade, muitas vezes denominado o Pulmão de Lourosa, tem uma maior área verde e aí podem encontrar-se algumas zonas de interesse para quem dele desfrutar: parque infantil, campo de areia, campo sintético, equipamentos para atividade física e bancos de madeira para usufruir de um bom descanso e apreciar a natureza envolvente, ordenada com caminhos e trilhos.

terça-feira, 9 de maio de 2017

9 Atrações Culturais a visitar em Santa Maria da Feira

Existem 9 atrações culturais que não pode deixar de visitar em Santa Maria da Feira. São elas:

1. Castelo de Santa Maria da Feira


O Castelo de Santa Maria da Feira é um dos mais notáveis monumentos militares portugueses. A diversidade dos seus recursos defensivos utilizados entre os séculos XI e XVI faz dele uma peça única da nossa arquitetura militar.
Sempre representou para a Feira, e para Portugal, um símbolo de identidade nacional. Ao longo da História, desempenhou várias tarefas: foi castro de ocupação romana, baluarte contra as invasões normandas, forte militar na época da Reconquista, sede de região militar, o grande centro político que levou à independência de Portugal e habitação de famílias reais e nobres.
A Comissão de Vigilância do Castelo de Santa Maria da Feira, em parceria com a DRCN, desenvolveu um Projeto de Conservação e Remodelação do Castelo, com o apoio de fundos comunitários, que consistiu essencialmente na realização de obras de conservação e restauro da Capela, conservação e remodelação da Torre de Menagem.
Hoje, o Castelo está preparado para desempenhar as funções de Polo Cultural na vasta região em que se insere e que constituía, outrora, uma região denominada Terra de Santa Maria.

2. O Museu Convento dos Lóios


Espaço dedicado à História e ao Património, tem o propósito de salvaguarda, valorização e divulgação dos testemunhos e memórias da herança histórica e cultural do concelho e da região, promovendo diversas atividades de manifesto interesse ao entendimento da diversidade cultural e regional e também nacional. Apresenta na exposição permanente núcleos de Arqueologia, História e Etnografia, onde explica a origem do Homem, a evolução e o desenvolvimento de um vasto território administrativo que outrora se designava por Terra de Santa Maria.
Criado como Biblioteca – Museu Municipal de Vila da Feira a 5 de fevereiro de 1938, foi inaugurado a 20 de janeiro de 1940. Em 1992, desliga-se da biblioteca e é instalado no secular edifício do Convento dos Lóios. Em 2000, é criada a Rede Municipal de Museus de Santa Maria da Feira e o Museu Municipal adquire uma nova dinâmica, como polo central da Rede, passando a designar-se Museu Convento dos Lóios.

3. Museu do Papel Terras de Santa Maria


Instalado em duas antigas fábricas de papel do início do século XIX, o Museu do Papel Terras de Santa Maria é um Museu Industrial dedicado à História do fabrico do papel, desde a sua fase manufatureira de produção “folha a folha”, apresentada no espaço oitocentista do Engenho da Lourença, à produção de papel em contínuo que marca o ambiente industrial do século passado da Casa da Máquina, e à mais recente História da Indústria do Papel em Portugal, através do núcleo expositivo “Da Floresta ao Papel”.
Constituindo um espaço manufatureiro e industrial em atividade, a sua exposição permanente tem como fio condutor a utilização de diferentes matérias – primas no fabrico de papel, ao longo dos tempos, proporcionando ao público o conhecimento dos sequentes momentos do processo de fabrico, a variedade de papéis produzidos em Portugal e a sua multiplicidade de aplicações.
Para além desta exposição permanente sobre o fabrico de papel, saliente-se a coleção de marcas de água e o acervo constituído por peças oriundas de diferentes fábricas de papel de todo o país.

4. Museu de Santa Maria de Lamas


Popularmente apelidado de “Museu da Cortiça”, o Museu Santa Maria de Lamas constitui um caso particular na história da museografia portuguesa do século XX. Centrado na figura de um colecionador (Henrique Amorim) apresenta-se como um projeto de Museu que preserva a ideia da transformação de um bem privado – coleção – numa instituição de benefício público – museu. Um verdadeiro acervo singular, recuperado e reorganizado a partir de 2004, que exibe perante o seu público coleções de Arte Sacra (talha dourada, imaginária, pintura, mobiliário e objetos litúrgicos); Etnografia, Iconografia do Fundador; Mobiliário Civil; Estatuária Nacional e Internacional, finais séc. XIX e 1ª metade do séc. XX; Ciências Naturais; Tapeçaria; Azulejaria; Estatuária em Cortiça/Aglomerado de Cortiça e Arqueologia industrial (maquinaria usada nos primórdios da Indústria transformadora de Cortiça) que evidencia as potencialidades desta matéria-prima e reflete a identidade da comunidade local.
O Museu tem no seu Serviço Educativo um ponto alto em termos de qualidade teórica e lúdica, proporcionando ao visitante uma sensibilização para a própria arte, sua diversidade tipológica e temática, património cultural e sua conservação.
Um espaço socialmente ativo, cultural e pedagogicamente relevante, pela evocação de histórias e estórias, contribuindo dessa forma para aprofundar e divulgar o conhecimento do património português.

5. Visionarium | Centro de Ciência do Europarque


O Visionarium convida-o a explorar um universo de emoções e experiências.
Uma viagem enriquecedora onde as mais avançadas tecnologias e meios audiovisuais estimulam os sentidos e os conhecimentos.
Marque encontro com os grandes exploradores e cientistas, manipule módulos interativos em ambientes multissensoriais e participe em sessões laboratoriais onde se testam os grandes princípios científicos que regem o Universo.
Uma experiência que ultrapassa o espaço físico do Visionarium.
Participe em viagens científicas, programa de férias e fim de semana, conferências e palestras, festas de aniversário e eventos temáticos.
Visionarium, onde o jogo é real!

6. Cineteatro António Lamoso


O Cineteatro António Lamoso constitui-se como um agente de criação e produção artística transdisciplinar, e um espaço potenciador e difusor da dimensão criativa.
Pretende-se que mantenha uma ação permanente na construção de hábitos de consumo de bens culturais, assim como na construção, captação e fidelização de públicos, com particular responsabilidade na formação de valores estéticos nas gerações futuras.
Incorpora na sua matriz o ideário de valores, tais como identidade e território, heterogeneidade, presença e regularidade, contemporaneidade e construção.
Enquanto equipamento cultural, o Cineteatro António Lamoso constitui-se como um espaço de encontro de públicos heterógenos, com uma programação regular de qualidade, representativa das manifestações criativas do nosso tempo, para o desenvolvimento da cultura.

7. Mercado Municipal


O Mercado Municipal de Santa Maria da Feira é uma obra de grande importância para a Arquitetura tradicional portuguesa, classificado como monumento de interesse público e histórico. Situado no centro histórico da cidade, enquadra-se na paisagem envolvente próxima e mantendo relações visuais com o Castelo, a Igreja Matriz e o Museu Convento dos Lóios.
O Mercado Municipal, da autoria do arquiteto Fernando Távora com apontamentos em mosaico de Siza Vieira, é cenário que serve de palco a inúmeras atividades culturais ao longo do ano.

8. Biblioteca Municipal


O Mercado Municipal de Santa Maria da Feira é uma obra de grande importância para a Arquitetura tradicional portuguesa, classificado como monumento de interesse público e histórico. Situado no centro histórico da cidade, enquadra-se na paisagem envolvente próxima e mantendo relações visuais com o Castelo, a Igreja Matriz e o Museu Convento dos Lóios.
O Mercado Municipal, da autoria do arquiteto Fernando Távora com apontamentos em mosaico de Siza Vieira, é cenário que serve de palco a inúmeras atividades culturais ao longo do ano.

9. Castro de Romariz


Em Romariz encontra-se uma das estações arqueológicas mais expressivas da região de Entre Douro e Vouga (EDV).
O Castro de Romariz é um povoado fortificado datado do século V a.C. com níveis de ocupação até ao século I d.C..
Os trabalhos arqueológicos aqui realizados permitiram identificar as diversas fases de ocupação proto-histórica e romana deste povoado.
O seu espólio é constituído por numerosas espécies de cerâmicas, vidros, metais, moedas e epígrafes, destacando-se um expressivo conjunto de cerâmica indígena, púnica, grega e romana e dois tesouros monetários, indicador da ergologia indígena, dos intercâmbios regionais e de longa distância que referenciam a riqueza do quadro cronológico e cultural do povoado, permitindo reconhecer a sua importância no contexto da cultura castreja do Noroeste Peninsular.

segunda-feira, 8 de maio de 2017

Rota das Árvores Senhoriais em Santa Maria da Feira

Quatro visitas guiadas para conhecer uma mão cheia de magníficas árvores monumentais, inseridas em antigas quintas e casas senhoriais. São espaços irrepetíveis e quase desconhecidos, com centenas de anos de história, nos quais as árvores são o elo vivo que une várias gerações. As visitas serão guiadas por especialistas em árvores e acompanhadas pelos proprietários.

Programa

De maio a outubro de 2017

A Árvore do Ponto | 13 de maio | 14h30 – 17h30 | Quinta da Murtosa, Mosteirô

Cercada por altos muros de pedra, a Quinta da Murtosa, cujas origens remontam ao século XVI, encerra um significativo conjunto de árvores e arbustos notáveis. Plátanos, árvores-do-incenso, carvalhos, tuias, ulmeiros e eucaliptos de grande porte acompanham quem a visita, ao longo dos caminhos que, desde o portão de entrada, conduzem à casa senhorial. E é aí, na sua envolvente, que se encontram os mais ilustres habitantes desta quinta – monumentais sequoias, magnólias-de-flores grandes, murtas e um singular tulipeiro-da-Virgínia classificado e, possivelmente, com mais de 150 anos de idade – que aguardam a sua visita.

A Nogueira Negra | 3 de junho | 14h30 – 17h30 | Casa da Portela, Paços de Brandão

Ao chegar à senhorial Casa da Portela, conjunto edificado classificado e com origem no século XVII, o olhar prende-se não só à beleza e sobriedade da sua fachada mas também a uma monumental, centenária e classificada araucária-de-Norfolk, que a acompanha e cuja altura e silhueta se destacam na paisagem envolvente. Já no interior da propriedade, o olhar volta a prender-se, desta feita a uma magnífica, e também classificada, nogueira-preta, emoldurada pelas paredes do pátio interior da casa. A sua densa e frondosa copa convida-o a descobrir o jardim e outras espécies que por lá se encontram.

A Árvore do Atlas | 9 de setembro | 14h30 – 17h30 | Quinta do Seixal, Milheirós de Poiares

Quando ao longe se avista a Quinta do Seixal, grande propriedade com 26,3 hectares, é impossível ficar indiferente ao denso e diversificado arvoredo que envolve a casa senhorial e a sua capela dedicada a Santa Efigénia. O lugar de destaque é ocupado por um soberbo e escultural cedro-do-Atlas, cujas agulhas azuis fazem par com o azul da casa, mas outros podem igualmente ser encontrados pela mata, que ocupa a colina sobranceira. Aí, Carvalhos-americanos, magnólias, bordos-do-Japão e buxos monumentais enquadram e conjugam-se com grutas e pontes, contribuindo para o seu inesperado caráter de “jardim romântico” e que será dado a conhecer nesta visita.

As Guardiãs do Castelo | 7 de outubro | 14h30 – 17h30 | Mata das Guimbras e Quinta do Castelo

No centro da cidade, nem todos os monumentos são pétreos. Outros há, de um carácter mais dinâmico, que se assumem como verdadeiras torres, à semelhança das do vizinho castelo. Disperso pelas encostas que o rodeiam, na Mata das Guimbras e na Quinta do Castelo, existe um conjunto de árvores emblemáticas e centenárias – faias, castanheiros, cedros, tulipeiros-da-Virgínia, pinheiros-mansos, lódãos, metrosíderos e muitas mais – que transformam estes espaços num oásis urbano de inegável beleza, que importa “guardar”. Vamos conhecê-las?

Como Participar

As inscrições são gratuitas e obrigatórias, estando limitadas a 30 vagas. São realizadas unicamente através do Formulário de Inscrição.
O período de inscrição inicia exatamente na data e hora definida para cada visita (ver no descritivo) e encerra quando forem preenchidas as vagas (ou 48 horas antes da realização de cada visita).
A inscrição é individual. Não serão aceites inscrições em grupo.
As vagas serão preenchidas por ordem de inscrição. A confirmação da participação (ou não) será remetida por e-mail até 72 horas depois de submissão da sua inscrição.
Quando o número de inscritos ultrapasse as vagas disponíveis será criada uma lista de espera.

Saber Mais

A “Rota das Árvores Senhoriais de Santa Maria da Feira” é uma iniciativa do Município de Santa Maria da Feira integrada no FUTURO – projeto das 100.000 árvores na Área Metropolitana do Porto.
Conta com a parceria da Quinta da Murtosa, da Casa da Portela e da Quinta do Seixal e o envolvimento da Academia de Música de Paços de Brandão, do CIRAC – Círculo de Recreio, Arte e Cultura, da Escola Secundária de Santa Maria da Feira, da psicóloga e terapeuta de som, Cátia Duque, e da cantora lírica Ana Maria Pinto.
Destaca-se ainda a participação voluntária dos especialistas que acompanharão as visitas: Luis Côrte-Real, Maria da Graça Saraiva, Paulo Alves e João Almeida.
Para saber mais sobre outros locais a visitar em Santa Maria da Feira pode consultar o site www.visitfeira.travel.

Onde Dormir?

No Hotel dos Loios com a melhor qualidade:
  • Tlmv: 91 528 38 24
  • Telf:   256 379 570
  • Email: geral@hoteldosloios.com 

terça-feira, 21 de março de 2017

XII Congresso Internacional História do Papel

Organizado pela Câmara Municipal de Santa Maria da Feira, em parceria com a Associación Hispánica de Historiadores del Papel, o XII Congresso Internacional História do Papel na Península Ibérica realiza-se pela primeira vez no nosso país. De entre os temas em análise, destaque para a História do papel em Portugal, importância das marcas de água, papel hispano-árabe, papel ibérico na América Latina, arqueologia industrial do papel e conservação e restauro de papel.

De 28 a 30 de Junho.

+ INFO: goo.gl/vuO8eq



domingo, 1 de janeiro de 2017

Diversão Noturna em Santa Maria da Feira

E de noite? O que há para fazer em Santa Maria da Feira?

Santa Maria da Feira oferece um leque de opções para todos os gostos. Bares e discotecas prometem animar a sua noite quando vier a Santa Maria da Feira.



Cafetaria (pop, dance)

Situado num espaço privilegiado da cidade aqui poderás ouvir os últimos hits musicais da actualidade.
https://www.facebook.com/cafetariacafeta/
t. 256 373 602

Deja Vú (Pop, Rock, Dance)

Como o próprio nome indica, queremos relembrar os bons momentos vividos, e que estes se tornem num verdadeiro Deja Vú

http://www.facebook.com/dejavuinfeira/

Dom Petisco (metal, rock, indie, electro)

Aqui desfrutas de uma noite em ambiente jovial e entusiasta ao som de estilos musicais como metal, rock, indie e electro.
https://www.facebook.com/odompetisco/
dompetisco@outlook.com

Escadas para o Céu (house)

Um bar à disposição de quem ama música e o bem-estar. Um espaço confortável e amplo para desfrutar de uma boa companhia, boa conversa e de um bom passo de dança.

http://www.facebook.com/escadasparaoceu/
etapapretendida@gmail.com
t. 91 399 05 33

Lusitano (rock)

Taberna e pub de estilo rockeiro que passa pelo indie e o alternativo com o bom ambiente que um bar deve ter e um espirito dinâmico com vários eventos.

https://www.facebook.com/LusitanoTabernaePubSMF/

Porta 13 (techouse, deep house, pop, jazz)

Longe do mainstream nocturne, o bar porta 13 pretende destacar-se por um estilo diferente, sobretudo ao nível das tendências musicais.

https://www.facebook.com/porta13/
porta13smf@gmail.com / djsergiooliveira@hotmail.com

Rua Direita

Monotonia não é com certeza a chave de sucesso deste bar, as diferentes festas temáticas, e as míticas noites fazem deste, um bar atrativo.

www.facebook.com/Baruadireita/

Sem Nexus (house, latina)

15 anos de música, dança e de noites super animadas, num espaço amplo onde a rotina e os problemas diarios são deixados para trás.

https://www.facebook.com/semnexus/

Sideways Irish Pub (pop, rock)

Um espaço que remete para um poço de cultura irlandesa e britânica, onde podes vivenciar um ambiente intimista e descontraido.

https://www.facebook.com/SideWaysIrishPub/
sidewaysirishpub@sapo.pt

Taberna 66 (rock)

Um espaço intimista mas muito acolhedor, nesta taberna encontrarás as origens e a essência do puro rock.

http://www.facebook.com/Taberna66/

Transat (rock, electro)

Pequeno e ao mesmo tempo tão grande é assim o Transat, uma esplanada mesmo no centro quase de passagem obrigatória, um espaço agradavél com boa música.

http://www.facebook.com/transatII/
t. 96 451 60 12

Zona Histórica (house, dance, RnB, hip-hop, Brasil)

Onde a noite começa...local requintado e acolhedor, onde poderás passar bons momentos ao som das melhores músicas do momento.

http://www.facebook.com/zonahistorica/
geral@zonahistoricacaffe.com
t. 91 724 54 43

Galeria (Reggae, HipHop & Diversos)

Espaço gerado para o bem estar geral dos clientes, com a opção de muito entretenimento à mistura, onde pretende destacar-se com a versatilidade musical.

Rossio (estilo variado)

Espaço acolhedor com zona de restaurante e esplanada com lounge bar, onde se pode desfrutar de uma excelente experiência gastronómica, acompanhada de boa música e agradáveis coktails.

http://www.facebook.com/rossiofeira/
geral@rossiofeira.pt
t. 256 318 231

Sala 35 (house, deephouse, fullhouse, acid jazz, jazz, nu jazz)

O bom rebelde...a sala de estar. (chmpagne, gin, wine)

http://www,facebook.com/Sala35feira/
t. 91 042 97 30

Tasqueiros Sem Lei (música portuguesa)

Inspirados nas tradicionais tascas do "nosso" Portugal, um espaço dedicado aos sabores antigos na companhia dos diversos ritmos musicais e alma portuguesa.
http://www.facebook.com/TasqueirosSemLei/
tasqueirossemlei@gmail.com
t. 256 025 112

Norte - Cervejaria (David Bowie, Pink Floyd, Sting, Deolinda e outros de género)

No Norte não se come nem se bebe, vive-se. Faça assim, não se acredite nesta conversa. Passe cá nem que seja só para dizer "olá" e depois sente-se se lhe apetecer. Teremos todo o gosto em recebê-lo.

http://www.facebook.com/cervejarianorte
correio@cervejarianorte.com
t. 256 303 302